IT PRO LAND http://www.itproland.com.br Compartilhando conhecimento com Profissionais de TI Fri, 17 Nov 2017 18:08:54 +0000 en-US hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.9 127032234 VEEAM – Backup & Replication – Restore Entire VM http://www.itproland.com.br/veeam-backup-replication-restore-entire-vm/ http://www.itproland.com.br/veeam-backup-replication-restore-entire-vm/#comments Thu, 16 Nov 2017 17:17:50 +0000 http://www.itproland.com.br/?p=683

 

Olá, pessoal!

Voltando com mais um post sobre o VEEAM, hoje irei demonstrar como fazer o restore de uma VM inteira através de um backup em disco.

Imagine o cenário onde você possui um host ESXi com algumas VMs hsopedadas nele. Devido a algum problema ele foi danificado e você teve que formatar e instalar novamente o ESXi. Partindo disso iremos fazer o restore de uma VM para esse novo host através do último backup em disco do VEEAM.

Então temos o backup de uma VM Windows 7 que está rodando no meu ESX01:

 

 

Tenho o meu ESX01 rodando a VM:

 

 

Essa VM tem apenas uma placa de rede na rede 172.16.2.0/24. Essa informação é importante, porque como iremos restaurá-la, precisamos que o novo host tenha as mesmas configurações de rede do host antigo. No meu caso é um Port Group chamado “CLIENTS”, mas atente-se nesse detalhe antes de iniciar o processo para a VM já subir com rede e totalmente funcional após o restore.

 

 

Agora irei desligar e remover a VM do host para simular uma perda total do ambiente.

 

 

Agora vamos iniciar o processo de restore clicando em “Restore” na console do VEEAM:

 

 

Iremos prosseguir com a opção “Entire VM (including registration)”. Clique em “Next” para próxima tela:

 

 

Na próxima tela, devemos adicionar as VMs que queremos restaurar. Clique em “Add VM” e depois “From backup”:

 

 

Escolha a VM que deseja restaurar. Se você tiver mais de um restore point poderá escolher qualquer um deles, assim você pode voltar com a VM em qualquer ponto dos seus últimos backups. No meu caso tenho apenas um restore point. Clique em “Add”:

 

 

Clique em “Next” para prosseguir:

 

 

Agora temos algumas opções de como efetuar o restore:

 

  • Restore to the original localtion
    • Essa opção pode ser usada no caso em que você perdeu apenas a VM em questão, mas seu host ainda está intacto. Nesse caso o VEEAM já sabe que a VM reside no ESX01 e já conhece todas as suas configurações (rede, disco, etc), então você não precisa escolher praticamente nenhuma configuração no job e o restore irá iniciar.
  • Restore to a new location, or with different settings
    • Com essa opção você poderá customizar diversas configurações do job, como host de destino no caso do host inteiro ter sido perdido ou ainda mudar configurações de rede, caso seja necessário, entre outras opções.
  • Pick proxy use
    • Nessa opção podemos escolher qual proxy do VEEAM será utilizado para o restore, em nosso ambiente possuímos apenas um servidor do VEEAM, portanto não há necessidade de alterar essa opção.
  • Restore VM tags
    • Se você possui tags em seu ambiente de vCenter adicionado atrelado a essa VM, o VEEAM pode restaurar a VM já com essas tags. Entretanto, a tag precisa estar disponível no vCenter para isso ocorrer.
  • Quick rollback (restore changed blocks only)
    • Essa opção só estará disponível se você restaurar a VM para o mesmo host de origem. Nesse caso, o VEEAM utiliza o CBT pare reverter a VM para o estado do backup. Essa opção só deve ser utilizado em casos em que a VM ainda existe, mas houve alguma falha de software que comprometeu sua integridade e você precisa restaurá-la para o ponto de backup. Essa opção não deve ser usado no caso de restaurar a VM após sua perda completa.

Para maiores detalhes de cada opção, acesso este LINK.

No  meu exemplo eu não possuo tags e quero fazer o restore para um novo host. Portanto irei escolher a opção “Restore to a new location” e irei desmarcar a opção “Restore VM tags”.

 

 

Na próxima tela devemos escolher o host de destino da VM:

 

 

Clicando em “Host” irei escolher meu segundo host, simulando que eu tenho outra máquina física para subir a VM.

 

 

Clique em “Next” para prosseguir:

 

 

Se Resources Pools são utilizados você pode selecionar o desejado nessa tela. Clique em “Next” para prosseguir:

 

 

Na próxima tela você pode escolher o datastore que a VM será criada no novo host, assim como modificar o tipo de disco criado.

 

 

Clicando em “Datastore” podemos escolher outro datastore, caso seja necessário:

 

 

Clicando em “Disk Type” você pode escolher o tipo de disco que será utilizado durante a criação da VM:

 

 

Após escolher as melhores opções para o seu ambiente, clique em “Next” para prosseguir.

Na próxima tela podemos modificar o nome de exibição da VM no ESXi, assim como alterar o “Folder” da VM.

 

 

Clicando em “Name”, podemos alterar o nome ou ainda adicionar um sufixo ou prefixo.

 

 

Após escolher as melhores opções para o seu ambiente, clique em “Next” para prosseguir.

Na próxima tela devemos escolher o Port Group que essa VM irá se conectar no ESXi de destino.

 

 

Clicando em “Network”, podemos selecionar o Port Group existente no ESXi de destino. No meu caso eu já havia criado um Port Group com o mesmo nome do ESXi de origem.

 

 

Se necessário, é possível clicar em “Disconnected” para VM subir com a rede desconectada do ESXI.

 

 

Selecione a opção que melhor se encaixa ao seu ambiente e clique em “Next”.

Na próxima tela podemos definir uma razão para o restore. Clique em “Next” para prosseguir.

 

Para finalizar, teremos um sumário de todas as opções escolhidas e podemos selecionar a opção “Power on target VM after restoring” para a VM ser ligada após o restore ser concluído. Clique em “Finish” para iniciar o restore.

 

 

Podemos acompanhar o andamento do job na nova janela que será aberta.

 

 

Também podemos acompanhar no ESXi a VM sendo criada:

 

 

Após o restore ser finalizado podemos clicar em “Close” para finalizar o processo:

 

 

Podemos ver no ESXi que a VM foi restaurada e já está ligada:

 

 

É isso, pessoal! Se tiverem qualquer dúvida no processo estou à disposição para respondê-las por comentários, e-mail ou nas minhas redes sociais.

 

Até breve!

]]>
http://www.itproland.com.br/veeam-backup-replication-restore-entire-vm/feed/ 2 683
Passei no VCP6-DCV! http://www.itproland.com.br/passei-no-vcp6-dcv/ http://www.itproland.com.br/passei-no-vcp6-dcv/#respond Fri, 10 Nov 2017 10:50:23 +0000 http://www.itproland.com.br/?p=641 VMW-LGO-CERT-PRO-6-DATA-CTR-VIRT

Olá, pessoal!

Ontem finalmente fiz minha prova pro VCP6-DCV e consegui passar com 410 pontos de 500! Fiquei bem feliz porque vinha estudando da forma que conseguia (conciliando trabalho, esposa, vida pessoal etc) e não estava tão confiante assim que iria passar na primeira tentativa.

Como muitos sabem, para ter a certificação VCP-DCV é preciso fazer o curso oficial da VMware, o VMware vSphere: Install, Configure, Manage, então fazer a primeira prova a vSphere 6 Fundations Exam (2V0–620) e após ser aprovado fazer a última prova, a VCP6-DCV Exam (2V0-621). Como todo o processo é bem caro no Brasil, procurei alternativas e encontrei a Stanly Community College oferencendo o curso de forma online por um valor bem mais em conta, sem contar que teria desconto de 70% nas certificações.

Queria também deixar registrado os recursos que utilizei para estudar. Não foram muitos, mas me ajudou muito a cobrir alguns tópicos que eu tenho pouca experiência.

Espero que essas dicas possam ajudar quem está em busca dessa certificação também.

Até breve!

]]>
http://www.itproland.com.br/passei-no-vcp6-dcv/feed/ 0 641
Registre-se no vBrownBag Brasil! http://www.itproland.com.br/registre-se-no-vbrownbag-brasil/ http://www.itproland.com.br/registre-se-no-vbrownbag-brasil/#respond Mon, 06 Nov 2017 15:18:38 +0000 http://www.itproland.com.br/?p=620 222

Olá, pessoal!

Antes de continuar as séries do blog, um recado rápido. Registrem-se no vBrownBag Brasil para receber os avisos de novos programas usando este LINK.

Dessa forma, você receberá avisos um dia antes e uma hora antes de começar os webcasts e fica mais fácil de acompanhar caso esqueça.

Nas próximas semanas teremos os seguintes programas:

  • Ricardo Conzatti – VCAP Simulator – Parte 2 – 13/11/2017
  • Wesley Martins Silva – Explorando os recursos do VEEAM Free – 27/11/2017

Lembrando que todas as apresentações ficam disponíveis alguns dias depois em nosso canal do Youtube. Não deixem de se inscrever no canal também, estamos próximo de 100 inscritos e poderemos criar uma URL personalizada para o canal.

Até breve!

 

]]>
http://www.itproland.com.br/registre-se-no-vbrownbag-brasil/feed/ 0 620
VEEAM – Backup & Replication – Restore de Guest OS Files http://www.itproland.com.br/veeam-backup-replication-restore-de-guest-os-files/ http://www.itproland.com.br/veeam-backup-replication-restore-de-guest-os-files/#respond Mon, 30 Oct 2017 11:48:26 +0000 http://www.itproland.com.br/?p=525 Olá, pessoal!

Continuando a série sobre o VEEAM, dessa vez irei detalhar como fazer um restore de uma VM que foi executado um job de backup. Demonstrarei as possibilidade e o passo a passo do job de restauração de Gues OS Files, simulando um ambiente onde é necessário restaurar um arquivo específico de um servidor.

Continuando exatamente do último post, fizemos um job de backup de uma VM Windows simples.

223

No nosso respositório teremos o arquivo do backup full + os arquivos incrementais que foram gerados através dos próximos agendamentos após o full. No meu caso, eu rodei apenas mais uma vez o job para demonstração.

224

Para iniciar o wizard do restore, no menu “Home”, clique em “Restore”.

225

Como falei no começo do post, minha intenção é mostrar como fazer restore de arquivos (Guest files) em um cenário que estamos fazendo backup de um file server diariamente e é necessário restaurar uma pasta inteira ou um documento específico. Para isso, escolheremos a opção “Guest files (Microsoft Windows)”. Clique em “Next” para prosseguir.

Para detalhes de todas as opção de restore através do backup de uma VM CLIQUE AQUI.

226

Na próxima tela devemos escolher a VM que desejamos fazer o restore. Como em nosso job só temos a VM “WIN2012R2”, irei selecioná-la e clicar em “Next”.

232

Na próxima tela iremos escolher qual restore point desejamos abrir para fazer o restore. Percebam que temos dois restore points, o primeiro que foi o FULL e um segundo que já foi incremental, pois já existia o full. O incremental vai ser sempre menor, porque ele vai gravar os arquivos que foram modificados desde o último backup. Em caso de File Servers é muito útil, pois o usuário pode solicitar o restore de um arquivo que ele deletou e você terá a posição do último backup incremental.

Selecione o restore point desejado e clique em “Next”.

233

Se for necessário você pode descrever a razão para o restore e clicar em “Next” para prosseguir.

234

Clique em “Finish” para prosseguir com o restore.

235

Será aberto uma nova janela onde podemos navegar em todos os arquivos da VM e escolher o que desejamos fazer restore.

236

Selecionando uma pasta ou arquivo, temos algumas opções:

  • Restore
    • Overwrite – O VEEAM irá enviar o arquivo que será feito o restore diretamente para o local original na VM e irá sobreport o que existir com o mesmo nome;
    • Keep – O VEEAM irá criar uma nova pasta ou arquivo com o prefixo “RESTORED” para evitar que o arquivo existente seja sobreposto;
  • Copy to
    • É a opção que mais utilizo, já que posso definir um local para fazer o restore, seja no próprio servidor do VEEAM ou em um local na rede;
  • Explorer
    • Com essa opção será aberta um nova janela do explorer da pasta selecionada e você pode manipular da forma que achar melhor;
  • Properties
    • Você pode ver as propriedados do arquivo ou da pasta verificando tamanho e permissões, por exemplo;

Para maiores detalhes sobre as opções disponíveis CLIQUE AQUI.

237

Selecionado a opção “Copy to”, podemos escolher o local de restore e selecionar se precisamos manter as permissões dos arquivos e pastas. Clique em “OK” para iniciar o restore.

238

Podemos acomapanhar o processo de restore através de uma nova janela que será aberta.

240

Com isso o restore será finalizado. Você pode fechar a janela do “Backup Browser” e o job de restore será encerrado.

É isso, pessoal. Se tiverem qualquer dúvida, não deixem de falar nos comentários!

]]>
http://www.itproland.com.br/veeam-backup-replication-restore-de-guest-os-files/feed/ 0 525
vBrownBag Brasil – Primeiro vídeo no ar! http://www.itproland.com.br/vbrownbag-brasil-primeiro-video-no-ar/ http://www.itproland.com.br/vbrownbag-brasil-primeiro-video-no-ar/#comments Tue, 24 Oct 2017 10:50:41 +0000 http://www.itproland.com.br/?p=494  

222

Olá, pessoal!

Alguns já devem ter visto pelo site do Valdecir Carvalho ou do Ricardo Conzatti, mas faltou eu fazer um post sobre assunto aqui. Estamos iniciando o vBrownBag Brasil com palestras técnicas virtuais e vídeos no Youtube.

Para quem não conhece, o vBrownBag é uma grande comunidade internacional que se dedica em ajudar as pessoas criando e compartilhando conteúdo sobre infraestrutura de TI. Ele já existe há alguns anos e vem crescendo bastante conquistando espaço não apenar virtualmente, mas também em grandes eventos técnicos, como o VMWorld. É feito por pessoas apaixonadas por compartilhar conhecimento e pela busca de conhecimento.

O vBrownBag Brasil será gravado ao vivo, inicalmente às segundas-feira às 22h, com periodicidade de 15 em 15 dias. Iremos sempre divulgar as palestras com antecedência para que possam participar ao vivo (via Go To Meeting), mas após a apresentação iremos subir o vídeo para o canal do Youtube.

Alguns episódios já estão programados para acontecer nas próximas semanas, mas podem sofrer alterações:

  • Ricardo – VCAP Simulator – 16/10 e 30/10
  • Tarsio – Conceitos de Rede para NSX – 13/11
  • Wesley – Tirando suco de pedra do veeam free – 27/11 e 11/12
  • Valdecir – Montando o seu homelander – 2 ep – TBD

Apesar das primeiras sessões serem apresentadas por nós, esse não é o objetivo. Nós queremos e precisamos de pessoas para falar sobre qualquer assunto ligado a Infraestrutura. Nós devemos ser apenas os hosts, o objetivo do vBrownBag é abrir as portas para pessoas que não tem oportunidade de participar de grandes eventos palestrando poderem apresentar seu conteúdo e compartilhar suas experiências. Portanto, se você gostaria de compartilhar algum conhecimento com o Brasil e participar dessa comunidade entre em contato conosco. Vocês podem nos encontrar no Twitter e Youtube.

Assistam abaixo nosso primeiro vídeo de apresentação:

Estamos iniciando o projeto no Brasil com toda a ajuda e apoio da equipe internacional, espero que possamos trazer conteúdo relevante para o público brasileiro em português.

Até breve!

]]>
http://www.itproland.com.br/vbrownbag-brasil-primeiro-video-no-ar/feed/ 1 494
VEEAM – Backup & Replication – Backup de VMs Windows http://www.itproland.com.br/veeam-backup-replication-backup-de-vms-windows/ Mon, 16 Oct 2017 11:41:22 +0000 http://www.itproland.com.br/?p=454

 

Olá, pessoal!

Voltando aos posts sobre VEEAM, hoje irei demonstrar como fazer um backup de uma VM Windows criando uma rotina de backups full e incremental. Com esse tipo de backup poderemos recuperar arquivos de forma granular pelo backup ou ainda fazer o download do VMDK, por exemplo.

Então, sem mais delongas, vamos ao passo a passo.
Antes de iniciar a criação do job precisamos criar o repositório do backup no VEEAM, que nada mais é do que o local que serão gravados nossos backups. Para isso, na console do VEEAM, devemos clicar em “Backup Infrastructure”:

 

 

Clique em “Backup Repositories” e escolha a opção “Add Backup Repository…”

 

 

Será iniciado o wizard para criação do repositório. Defina um nome e descrição e clique em “Next”.

 

 

Em “Type” devemos escolher qual o tipo do nosso repositório. O VEEAM aceita alguns tipos:Em “Type” devemos escolher qual o tipo do nosso repositório. O VEEAM aceita alguns tipos:

  • Microsoft Windows Server
    • Como o próprio nome diz, nesse caso utilizaremos um servidor windows com discos locais ou uma storage plugada nesse servidor;
  • Linux Server
    • Mesmo caso que o Windows, só mudando o SO;
  • Shared Folder
    • Podemos utilizar uma pasta compartilhada com o protocolo SMB;
  • Deduplicating storage appliance
    • Podemos utilizar também alguns modelos de storages e já utilizar a deduplicação nativa desses devices, mas para isso é necessário a licença Enterprise do VEEAM;

Escolha a opção que mais se adeque ao seu ambiente e clique em “Next”. Nesse caso escolherei a opção “Microsoft Windows server”.

 

 

Na próxima tela devemos escolher o servidor que será o repositório. No meu caso, o meu repositório ficará localizado no próprio servidor de VEEAM, mas você pode clicar em “Add New” e adicionar um outro servidor. Você também pode clicar em “Populate” para mostrar os “Paths” disponíveis no servidor, mas esse passo não é obrigatório. Clique em “Next” para prosseguir.

 

 

Na próxima tela vamos configurar algumas opções do repositório. Em “Path to Folder” vamos selecionar a pasta onde o backup será gravado. Clique em “Browser”.

 

 

Selecione a pasta que deseja que o backup seja gravado e clique em “OK”.

 

 

Em “Load Control” podemos limitar quantos jobs consecutivos pode ser rodado nesse repositório, além de definir a taxa de throughput. Dependendo do seu ambiente, pode ser algo útil, mas em geral eu não utilizo porque não costumo rodar vários jobs ao mesmo tempo no mesmo repositório.

 

 

Clicando em “Advanced” temos as seguintes opções de configuração:Clicando em “Advanced” temos as seguintes opções de configuração:

  • Align backup file data blocks
    • Utilizado para alinhar os blocos do backup em um storage para melhorar o a deduplicação, mas só é utilizado em casos de gravação dos dados em storage com suporte a esse recurso.
  • Decompress backup data blocks before storing
    • Outro recurso utilizado para casos que a deduplicação e a compressão de dados está ativada. Essa opção comprimi os dados na VM de origem, antes de trafegar os dados, depois disso trafega os dados comprimidos e no repositório ele é descomprimido para atingir uma maior taxa de deduplicação, já que deduplicar arquivos comprimidos não te dará tanto ganho. Novamente, use a opção somente em casos em que você está utilizando compressão e deduplicação.
  • This repository is backed by rotated hard drives
    • Quando rodamos um backup utilizando o VEEAM, inicialmente é criado o full e dependendo de como configurarmos o jobs teremos arquivos incrementais. Os arquivos possuem dependência um do outro para que você crie uma cadeia de arquivos e possa voltar em qualquer momento necessário. Com essa opção, pensando em uma rotina de rotação, o VEEAM irá tolerar o desaparecimento de arquivos de backup dos dias anteriores. Pode ser útil em caso de utilização de uma rotina de rotação de fitas, por exemplo.
  • Use per-VM backup files
    • Essa opção pode ser usada para ter múltiplos I/O streams para um storage que suporte essa função. Entretanto, só está disponível na versão Enterprise do VEEAM.

Para maiores informações sobre essas opções CLIQUE AQUI.

No caso do meu exemplo não usarei nenhuma dessas opções. Clique em “OK” e “Next” para a próxima tela.

 

 

Quando vamos efetuar o restore de um backup o VEEAM precisa “montar” a VM para que você tenha todas as opções de restore disponível, como VM Recovery, SureBackup e File-Level Restore. Por isso, devemos definir qual será nosso “Mount Server”. Como nesse exemplo o meu repositório é meu próprio servidor, irei manter as configurações padrões.

 

 

Clicando em “Ports” podemos mudar as portas de comunicação com o “Mount Server”.

 

 

Para maiores detalhes sobre o Mount Server CLIQUE AQUI.
Clique em “OK” e “Next” para prosseguir.

Clique em “Apply” para iniciar a criação do repositório.

 

 

Clique em “Finish” para finalizar o processo.

 

 

Agora com o repositório criado, vamos iniciar a criação do job de backup clicando em “Backup Job” na console.

 

 

Será aberto o wizard para criação do Job de Backup. Defina um nome para o job e clique em “Next”.

 

 

Clique em “Add” para procurar a VM que deseja fazer o backup. Você também pode escolher um host inteiro e criar exclusões se necessário, assim como mostrei no artigo sobre replicação.

 

 

Irei escolher uma VM simples com Windows Server 2012 R2 para demonstrar o processo. Após escolher a VM clique em “OK”.

 

 

E depois clique em “Next” para prosseguir.

 

 

Na próxima tela primeiro devemos escolher nosso “Backup Proxy”. No meu caso esse servidor é o único de VEEAM que possuo, por isso deixarei em “Automatic Selection”, mas você pode definir outro servidor de proxy principalmente se estiver fazendo backup através de uma rede WAN onde a VM de origem está em outro site. Nesses casos é sempre importante fazer o deploy de um outro servidor de VEEAM nesse site para agir como proxy do backup porque ele está mais próximo logicamente da VM de origem e como isso teremos uma performance melhor do job.
Em “Backup Repository” vamos escolher no repositório criado.

 

 

Em “Retetion Policy” podemos definir a política de retenção de quantos restore points você deseja manter. Por padrão vem marcado 14, mas você pode adequar da melhor para o seu ambiente.
Você também pode configurar um destino secundário para o backup, no caso de que você rode o seu backup e depois de finalizar precise copiar ele para um outro destino. Isso é feito utilizando um jobs de Backup Copy, como não é nosso caso manterei desmarcado.

 

 

Clicando em Advanced teremos diversas opções de configuração. Na aba “Backup” podemos escolher qual o modo que nosso backup irá funcionar.Clicando em Advanced teremos diversas opções de configuração. Na aba “Backup” podemos escolher qual o modo que nosso backup irá funcionar.

  • Reversal incremental
    • Esse modo é utilizado para injetar os backups incrementais no arquivo do backup full, dessa forma o último arquivo de backup será sempre um backup full com todas as alterações do dia.
  • Incremental
    • Nesse modo é criado o arquivo incremental com todas as modificações desde o último backup. É o mais utilizado e o que garante uma melhor performance de I/O.

Se necessário você pode escolher a opção “Create syntheticalfull backups periodcally” para que seja criado um backup periodicamente se for o seu caso.Um pouco mais embaixo você pode escolher um dia exato do mês para que um novo backup full seja criado, mas essa opção vai depender de como funciona sua rotina.

Para maiores detalhes dessas opções CLIQUE AQUI.

No meu exemplo, eu quero que seja criado um backup full toda última sexta-feira do mês e os demais backups serão todos incrementais.

 

 

Na aba “Maintenance” podemos definir que seja feito um “health check” periodicamente nos arquivos de backup.
Também podemos definir a manutenção dos arquivos de backup para efetuar a defragmentação, limpar dados obsoletos e compactar o arquivo do backup full.

Para maiores detalhes dessas opções CLIQUE AQUI.

No meu exemplo mantive as opções default.

 

 

Na aba “Storage” podemos definir as opções de como o job vai trabalhar para ganharmos maior performance e redução do espaço em disco. Se você não tem certeza de qual utilizar, mantenha as opções padrão e acompanhe o job com o passar dos dias. Com isso você terá uma ideia de como o job está se comportando e poderá adequar da melhor forma. Lembre-se de qualquer alteração no level de compressão significa um maior uso de recursos do servidor do VEEAM.
Em “Storage optimization” podemos definir como o nosso repositório está conectado com o nosso VEEAM para saber como ele deve lidar com os dados. Cada opção tem vantagens e desvantagens.
Em “Encryption” podemos definir uma senha para criptografar os arquivos de backup.

Para maiores detalhes dessas opções CLIQUE AQUI.

No meu exemplo novamente mantive as opções default.

 

 

Na aba “Notifications” podemos configurar as notificações e eventos em caso de sucesso ou falha do job.

 

 

Na aba “vSphere” podemos definir algumas opções de como o job vai agir ao iniciar o processo do snapshot nas VMs do host. Marque a opção “Enable VMware Tools quiescence” se deseja que o snapshot seja gravado com a VM em estado consistente. Normalmente não vamos utilizar essa opção, apenas em caso de backup de VMs com aplicações que tem alto IO como SQL ou Exchange.
Em “Changed block tracking” mantenha as opções marcadas para o VEEAM utilize o CBT para criação de arquivos de backup incrementais. De forma simples, o CBT serve como ponteiro para o VEEAM saber a partir de onde ele deve começar um backup diferencial.

Para maiores detalhes dessas opções CLIQUE AQUI.
Para maiores detalhes sobre o CBT CLIQUE AQUI.

 

 

Na aba “Integration” podemos fazer com que o VEEAM use snapshots de storage ao invés dos snapshots das VMs, reduzindo significativamente o impacto no ambiente de produção. Entretanto, essa é uma feature disponível apenas na versão Enterprise.
Para maiores detalhes dessas opções CLIQUE AQUI.

 

 

Na aba “Scripts” podemos definir scripts para que sejam executados antes ou depois que um job de backup rodar.

 

 

Após configurar todas as opções avançadas do job clique em “OK” e “Next”.

 

 

Em “Guest Processing” podemos escolher as opções para que o VEEAM avise o sistema operacional que será feito um backup na VM, dessa forma aplicações com o Exchange e o SQL poderão processar os logs, por exemplo. Para utilizar essa função devemos também definir uma credencial para o VEEAM ter acesso ao sistema operacional da VM.

Para maiores detalhes dessas opções CLIQUE AQUI.

Manterei todas as opções desmarcadas porque no meu caso não tenho nenhuma aplicação que necessite desse tipo de ação na VM. Clique em “Next” para prosseguir.

 

 

Em “Schedule” defina os dias e horários que deseja que seu job seja executado. Também é possível definir quantas vezes o job deve tentar em caso de falha e também podemos definir um horário para que o backup seja encerrado mesmo sem que tenha terminado para que não impacte horário de produção. Defina da forma que melhor se adeque ao seu ambiente e clique em “Apply”.

 

 

Revise as opções do job e clique em “Finish”.

 

 

Agora iremos iniciar o job para criar o primeiro arquivo do backup full. Clique com o botão direito no job e clique em “Start”.

 

 

Você pode acompanhar do job clicando duas vezes nele.

 

 

Após finalizar teremos o arquivo .VBK (FULL) criado em nosso repositório. Na próxima vez que o backup executar teremos um arquivo .VIB (INCREMENTAL) criado em nosso repositório referente apenas as modificações desde o último backup.

 

 

Com isso finalizamos a criação do job para backup!

No próximo artigo mostrarei as opções de como efetuar o restore e um exemplo de restauração de guest files no Windows.

Até breve!

]]>
454
Lembrete: Reunião VMUG São Paulo dia 05/10 http://www.itproland.com.br/lembrete-reuniao-vmug-sao-paulo-dia-0510/ Mon, 02 Oct 2017 11:18:44 +0000 http://www.itproland.com.br/?p=448 Olá, pessoal!

Na próxima quinta-feira teremos a reunião do VMUG SP e já temos todos os detalhes:

Terei a honra de participar como palestrante onde falarei sobre as features do VEEAM Backup Free e mostrarei um uso de caso onde ele me ajudou e pode ajudar você também! Portanto, se puder comparecer eu garanto que será bem legal.

Veja a agenda completa clicando AQUI.

Nos vemos lá!

Até breve!

]]>
448
Instalando o VCSA 6.5 no VMware Workstation Tech Preview 2017 Pro http://www.itproland.com.br/instalando-o-vcsa-6-5-no-vmware-workstation-tech-preview-2017-pro/ http://www.itproland.com.br/instalando-o-vcsa-6-5-no-vmware-workstation-tech-preview-2017-pro/#comments Tue, 26 Sep 2017 12:33:20 +0000 http://www.itproland.com.br/?p=442

 

Olá, pessoal!
Eu sempre utilizei o VMware Workstation em meus pcs para criação de labs. Apesar de existir opções open source legais (Virtual Box), como meu objetivo sempre foi criar labs com produtos da VMware, o Workstation sempre me deu um suporte mais abrangente e sem problemas para esse tipo de ambiente.Entretanto, um dos problemas que sempre tive foi subir o VCSA (VMware vCenter Server Appliance) no VMware Workstation. O VCSA foi construído para fazer a instalação diretamente em um ESXi, então era necessário algumas artimanhas para fazer de uma forma que funcionasse de forma satisfatório no Workstation. Mas no último mês a VMware anuncionou a nova versão 2017 do VMware Workstation que possui diversas melhorias, mas para mim a mais interessante é o suporte a criação de um VCSA. Agora você pode importar o OVA, seguir os passos e o deploy funciona sem problemas! Mostrarei em detalhes o passo a passo para criação de um VCSA 6.5 em um ambiente de lab utilizando o VMware Workstation Tech Preview 2017 Pro.
Antes de mais nada, para esse ambiente você vai precisar de algumas coisas:

  • ISO do VCSA 6.5. Pode ser baixada no site da VMware, mas é necessário a criação de uma conta para download do trial válido por 60 dias;
  • Baixar e instalar o VMware Workstation Tech Preview 2017 Pro. A licença irá funcionar até o final de dezembro/2017, após isso teremos o lançamento da versão final e será necessário adquirir o produto;
  • E, no meu caso, um domínio Active Directory com DNS para resolução de nome do VCSA. Não precisa ser AD, só tenha em mente que você precisa de um domínio e DNS funcional;

Com esse ambiente pronto, iremos iniciar extraindo a ISO do VCSA para ter acesso ao OVA para importação no VMware Workstation:

 

 

Agora iremos importar o OVA no VMware Workstation para iniciar o wizard de instalação. Clique em “File”, “Open”:

 

 

Escolha o OVA extraído navegando até a pasta “vcsa”:

 

 

O Wizard será iniciado. Marque para aceitar os termos da licença e clique em “Next”:

 

 

Escolha o nome da VM e onde deseja salvar os arquivos, você vai precisar depelo menos 17GB livres. Esse foi o espaço consumido após a instalação do VCSA. Clique em “Next” para prosseguir:

 

 

Escolha o tipo de deploy do seu VCSA. Como é um ambiente de lab, escolhi a opção com a menor configuração possível, que é 2 vCPUs e 10GB de memória. Você pode ler sobre todas as opções disponíveis AQUI.
Clique em “Next” para prosseguir:

 

 

Agora iremos definir todas as configurações do VCSA. Em “Network Configuration” vamos definir as opções de rede do appliance:

 

 

Clique em SSO Configuration e defina a senha do SSO:

 

 

Clique em “System Configuration” e defina a senha do root:

 

 

Em “Miscellaneous” defina se gostaria de enviar informações sobre a instalação para a VMWare melhorar os produtos:

 

 

Em “Networking Properties” preencha com o domínio criado:

 

 

Finalmente, clique em “Import” e aguarde a importação:

 

 

Após a instalação, teremos a VM pronta para ser iniciada:

 

 

Clique em “Power on this virtual machine” e AGUARDE. Vai demorar bastante para todo o processo de instalação e configuração ser concluído. Em hipótese nenhuma desligue ou reinicie a VM, caso contrário todo o processo de importação da VM terá que ser refeito. Eu sempre deixo pelo menos 1h para ter certeza que tudo está correto e pronto para o uso.
Após todo o processo você verá algo parecido com isso:

 

 

Se tudo ocorrer bem, você já conseguirá acessar o VCSA sem problemas:

 

 

E já poderá navegar e criar seu ambiente:

 

 

Espero que esse passo a passo possa te ajudar a iniciar a criação de um lab dos produtos da VMware.

 

Até breve!

 

]]>
http://www.itproland.com.br/instalando-o-vcsa-6-5-no-vmware-workstation-tech-preview-2017-pro/feed/ 2 442
Reunião VMUG SP em Outubro! http://www.itproland.com.br/reuniao-vmug-sp-em-outubro/ Wed, 20 Sep 2017 01:40:16 +0000 http://www.itproland.com.br/?p=419

 

Olá, pessoal!

Novamente teremos uma nova reunião do VMUG SP no dia 05/10/2017. Dessa vez a reunião será na IBM Brasil, local de fácil acesso para todos e com certeza com uma ótima estrutura.

Como sempre divulgo aqui, é importante que se houver interesse não deixe de comparecer. O ambiente é legal e a galera é muito bacana, sempre com palestras interessantes. É muito bom para conhecer novas pessoas e ampliar seu networking.

Os detalhes e a inscrição podem ser feitas no post sobre a reunião clicando AQUI.

Espero todos lá!

Até breve!

]]>
419
VMWorld US 2017 – Impressões http://www.itproland.com.br/vmworld-us-2017-impressoes/ http://www.itproland.com.br/vmworld-us-2017-impressoes/#comments Mon, 11 Sep 2017 19:38:07 +0000 http://www.itproland.com.br/?p=413

 

Olá, pessoal!

Na última semana aconteceu o VMWorld 2017 US em Las Vegas. Pela primeira vez tive oportunidade de participar do evento e também de palestrar no Tech Talks do vBrownBag. Foi uma experiência bem legal e gostaria de registrar algumas impressões que tive durante e depois do evento, o que acho que foi legal e o que acho que não vale tanto a pena.

O local do evento foi no Mandalay Bay em Las Vegas. Apesar da estrutura ser inacreditável para um evento desse porte, acho a cidade bem ruim. Tudo é bem longe e caro, além do calor ser insuportável nessa época do ano. Seria ótimo se o evento fosse para uma cidade diferente nos próximos anos, vamos aguardar para ver.

Sobre o evento em si, a VMware junto com seus parceiros sabe como criar um grande show. O Village, local onde estava localizado o espaço do vBrownBag, era bem confortável com muito lugar para sentar. Também era no Village que tinha o espaço para os bloggers onde pude ficar um bom tempo, mesmo não tendo me inscrito como blogger não tive problema em ficar lá e usar meu notebook no tempo livre.
O Solution Exchange é um show a parte. É gigantescos e tem empresas de toda a parte do mundo com as mais diversas soluções e cheia de brinde pra você. Eu tive a oportunidade de conversar com o pessoal da Zerto, por exemplo, que tinha um grande estande com demonstração da nova versão do produto e com bastante gente técnica para conversar. Além disso, o estande da DELL era bem grande e com todos os modelos de servidores deles para demonstração, inclusive a nova linha 14G, o que foi bem legal para conhecer as novidades.

Não fiquei muito tempo no Hands on Lab, mas é legal ver que você pode fazer alguns labs que só vão entrar no HOL nas próximas semanas, além da oportunidade de fazer alguns labs com auxílio de especialistas e já tirar qualquer dúvida que tenha.
Não assisti muitas palestras técnicas, mas o espaço era muito bom e o conteúdo inacreditável. Muitas palestras vão ficar disponíveis no Youtube, então quem tiver interesse pode conferir algumas.

De grande anúncio tivemos a liberação para uso do VMware Cloud on AWS, com detalhes de funcionamento, preço e etc. É uma grande aposta da VMware nessa parceria com a Amazon que acredito que seja corretíssimo. Para que inventar a roda quando já existe coisa boa funcionando, não? Maiores detalhes você pode conferir na página do produto.

Além de todas as atividades, o que realmente conta nesses eventos é o networking que fazemos. Tive a oportunidade de conhecer muita gente bacana da comunidade no VMWorld e isso vou guardar pra sempre. São pessoas que me comunico via Twitter, mas conversar pessoalmente é outra coisa. Se tiverem a oportunidade, não deixem de utilizar o twitter para participar da comunidade. A galera é muito solícita e está sempre pronta para ajudar qualquer um. O Valdecir Carvalho escreveu um post bem legal sobre os influenciadores do mundo VMware em seu blog há alguns meses atrás. Sugiro que leiam e sigam todos os perfis, você não vai se arrepender.

Aproveito para deixar o agradecimento ao grande amigo e parceiro Valdecir Carvalho do Homelaber pela ajuda para ir ao evento e pela nossa palestra no vBrownBag. Além deles, o parceirão Ricardo Conzatti do Solution4Crowds e o amigo Tarsio Moraes contribuíram para o evento ser mais divertido ainda. É sempre bom participar dessas conferências com amigos. 🙂

Para quem quiser conferir nossa palestra, já está diponível no canal do Youtube do vBrownBag:

Nos próximos dias voltarei com a série sobre VEEAM!

Até breve!

]]>
http://www.itproland.com.br/vmworld-us-2017-impressoes/feed/ 2 413